Horário de funcionamento:
Segunda – fechado
Terça – expediente interno
Quarta a domingo das 9h às 17h – aberto ao público

PERSONALIDADES

27 fev

      Entender melhor a trajetória de uma pessoa que teve um papel importante na sociedade pode ajudar a compreender uma época, um contexto histórico, socioeconômico, conflitos e a cultura em determinada região.

      A história é repleta de personalidades que foram importantes nas mais diversas áreas, que trazem sempre trajetórias inspiradoras, lições valiosas de superação, lutas, preconceitos e bandeiras defendidas, além, é claro, de inspirar as decisões sobre as nossas próprias vidas. São pessoas que fizeram história e muitas delas talvez você não conheça. Então venha com a gente! Vamos conhecer dez bustos e biografias de personalidades entre elas, mulheres, negras, políticos, militares, escritores e mestres da cultura regional mato-grossense.

      O escultor Tchello Santos na exposição “Personalidades” esculpiu dez bustos com cabeça, pescoço, uma parte do torso e ombros e recriou o mais fielmente possível a fisionomia dos escolhidos, entre os dez personagens quatro são mulheres que destaco:   Mãe Bonifácia, mulher negra que criou um quilombo na região do parque que leva o seu nome para receber escravos fugitivos; Maria Taquara, uma mulher transgressora, à frente do seu tempo e a primeira a usar calças comprida em Cuiabá; Domingas Leonor, Mestra da cultura popular, da cerâmica e do siriri, fundadora do grupo Flor Ribeirinha, nasceu e vive até hoje na Comunidade de São Gonçalo Beira Rio em Cuiabá; e Sarita Baracat, professora com atuação na política sendo a primeira vereadora e prefeita eleita em Várzea Grande e posterior, exerceu o mandato de Deputada Estadual na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Mulheres com grande importância e atuação política, social e cultural, personalidades que deixaram sua marca, em diferentes épocas para você ir além dos livros de história e tirar lições valiosas com trajetórias inspiradoras.

      As outras seis personalidades que ajudaram a moldar nossa história são homens como Marechal Rondon, engenheiro militar e sertanista brasileiro, famoso por sua exploração do Mato Grosso e da Bacia Amazônica Ocidental e por seu apoio vitalício às populações indígenas brasileiras; Pascoal Moreira Cabral, bandeirante paulista, intrépido sertanista fundador de Cuiabá que chegou ao rio Coxipó em meados de 1718, onde travou violento combate com os índios Coxiponés. Fundou o arraial de São Gonçalo Velho, em 8 de abril de 1719; Jejé de Oyá, negro e homossexual, nasceu em Rosário Oeste, veio para Cuiabá ainda criança, alfaiate, carnavalesco e colunista social, atividade essa a qual mais se destacou; Couto Magalhães, o fundador de Várzea Grande, escritor mineiro e folclorista. Nasceu em Diamantina, Minas Gerais e foi Presidente das Províncias de Goiás, Pará, Mato Grosso e São Paulo. Ao interromper a Guerra do Paraguai, foi designado à Presidência de Mato Grosso; Manoel de Barros nasceu em Cuiabá no dia 19 de dezembro de 1916, escritor e um dos principais poetas contemporâneos. Autor de versos nos quais elementos regionais se conjugavam a considerações existenciais e uma espécie de surrealismo pantaneiro; Seo Fiote, que nasceu na Fazenda Caninana, na divisa de Várzea Grande com Nossa Senhora do Livramento, em 9 de janeiro de 1917. Foi um homem trabalhador, corajoso e prático e o primeiro prefeito eleito de Várzea Grande.

 

      O escultor Tchello Santos, nascido em 20 de junho de 1989, natural de Vila Matilde-SP, está há 31 anos no município de Várzea Grande-MT e se considera um verdadeiro mato-grossense. O oficio do escultor é uma herança de familiar passada de geração em geração, ele é a quarta geração de escultores que inicia com o seu bisavô e depois passada ao avô Sr. Edmundo Santos escultor de madeira em especial de arte sacra, passada para seu filho Elias Santos e depois para o Tchello Santos seu filho. A parceria com seu pai foi importante para mostrar todo o talento e inserir seu nome no cenário da arte.

     Techello inicia suas primeiras esculturas aos 8 anos de idade em argila, depois aprimora a técnica no cimento, trabalha em várias temáticas, tais como: decorativas, religiosas, místicas e entre outras. Possui trabalhos em vários municípios de Mato Grosso e outros Estados como Goiânia, Salvador, São Paulo, Minas Gerais, Brasília etc.

      O seu processo de criação foi adaptado, inicialmente ele modela a obra na argila, depois reveste toda a escultura de argila com gesso, criando assim, um molde fino nesse gesso. Depois, vem o desenforme do molde na escultura, preenchimento desse molde de gesso com cimento e após a secagem, ele quebra a camada de gesso para nascer uma escultura em cimento e depois pinta. As 10 esculturas dessa exposição são em cimento sobre tinta esmalte a base de água com preparo do fundo em preto, depois aplicação de uma camada de tinta na cor marrom e tinta em spray dourada nas pontas para finalização.

      Essa é a primeira exposição individual do artista e foi contemplada por meio do edital MT Nascentes da lei Aldir Blanc via Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer de Mato Grosso, Ministério do Turismo e Secretaria Especial da Cultura do Governo Federal.

Viviene Lozi

Diretora e Curadora do Museu de Arte Sacra de Mato Grosso